29 de nov de 2011

Pintura Abstrata


Esta telha tem uma metragem
que me impressionou: 0,90X0,60cm.
(e observem que ainda está
com um pedaço quebrado em cima)

Tal tamanho indica que foi fabricada
manualmente e a mais de 120 anos.
Foi retirada do telhado do alpendre
de uma das fazendas de café
aqui da região do Caparaó,
que estava sendo preparada para ser demolida.

Claro que a restauração
e preparação para a pintura
foi feita com todo zelo
e que a peça está na minha sala.

Caparaó - História e Arte


Borboletas coloridas em veladura francesa e o fundo deixei natural, com a própria textura da telha como acabamento.

Verniz naval e... pronto!

Este "risco" sinuoso que atravessa a telha não é pintura.
São marcas dos dedos dos escravos que utilizavam esta técnica para facilitar a contagem de quantas peças haviam fabricado por dia.
Cada escravo criava sua forma particular de marcar sua telha.
Utilizavam a ponta dos dedos e marcavam a telha ainda molhada, assumindo assim a autoria da fabricação.
Os feitores e encarregados das fazendas vistoriavam o desempenho de cada escravo, contando e anotando quantas telhas cada um deles haviam feito ao final do dia de trabalho.

História e Arte nas terras do Caparaó...


Caminito - Argentina

Não sei se contei para vocês que faço coleção de canecas.
Cada uma com sua importância vai lotando minha cristaleira de mimos, lembranças e carinhos!
Essa - coloridíssima - ganhei da minha "cunhada" Elizângela.
Em viagem a Argentina, ela visitou um bairro em Buenos Aires chamado Caminito, que (segundo ela) é a minha cara!



AMEI: discreta e colorida como eu!
(rssss)

Obrigada Li!


Universidade?... eu Bebo!

Essa ganhei do meu primo amado.
É da "Universidade Federal de Viçosa",
onde ele se forma este ano em Agrimensura.

Meu primo...
Meu amigo...
Meu irmão de coração...
Meu orgulho...
AMO VC LUCIANO!!!!!!

Casa nova e as pimentas dele!


Fomos a Ouro Preto este ano
e o Papito viu umas pimentas penduradas em uma lojinha,
no finalzinho de um dos infinitos morros da cidade histórica.
Voltamos, e ele mesmo esculpiu umas 30
(que confesso ficaram muito melhores do que as que vimos por lá!)
Estavam guardadas cruas no Ateliê há meses...
e eu sempre enrolando!
Na mudança, pintei e trancei com fita acetinada e sisal,
fiz os molhos e uni tudo com cuidado.
Fiz para ele, mas fica mesmo é na minha cozinha!!!! (rss)


E estas aí são
minha pequena Sofiah
e a gatinha que ganhamos
(que continua sem nome.)
Estamos aceitando sugestões:
Crioula... Frida... Doroty... Baby...
Ai que dúvida!
( Podem enviar a sua, ok?!!!)


Porta-chaves


Ah!!!
Essa idéia estava borbulhando na minha cabeça há dias.
Vi alguns modelinhos na net e resolvi criar o meu.
Só que o meu representa a família:

Garfo = Pai Aldo
Colher maior = Mãe Lu
Colher de chá = Sarah (filha nº 1)
Colher de Café = Sofiah (filha nº 2)

(A placa é de cedro.)




(Rssss)

Cantinho Preto e Branco



Separei o cantinho de "labuta culinária" de preto e branco.
Então, coloquei alguns detalhes para distrair:
Tulipa e margarida pretas e um abstrato recortado na madeira.



Porco, galinha, ovelha e vaca...

Providenciei uns enfeites novos para a minha cozinha...
Escolhi homenagear os tipos de carnes que a familia devora!!!!
Fiz quadros (0,50 X 0,40cm) feitos em madeira de 4mm.
Tinta acrílica e verniz naval de acabamento.

Olhem só:


Porco

Galinha

Ovelha/Cabrito

Vaca

Coloquei os quatro quadros pertinho e ficou um mimo!
ADOREI!!!!

27 de nov de 2011

Mudança total...



Olá a todos!
Depois de alguns dias "sumida" da net, voltei com a corda toda.
E estou cheinha de novidades:
- mudei de casa,
- mudei de ateliê,
- troquei e customizei alguns móveis,
- criei peças novas para a nova casa
- e, além da Manu - minha cadelinha pequinês - ganhei agora uma gatinha (que ainda estamos decidindo o nome... rsssss)

Hum... e na faculdade:
- TCC praticamente 24 horas,
- Especialização em Arteterapia batendo a porta!!!! (Aliás, conversaremos aqui sobre isso, depois, com mais detalhes: vocês irão ficar maravilhados com o poder terapêutico da Arte na vida de algumas pessoas!)

Portanto, esta semana vou postar tudinho pra vocês verem a transformação que a Arteira (e família) deram.
Bom, nem precisa dizer que as mudanças começaram pelo layout do blog.
O que vocês acharam?

Espero comentários, sugestões e novas idéias.
Bejinhos a todos e até...

16 de set de 2011

Iúna no Contaf 2011

Taí amigos e seguidores da Arteira, o certificado de Trabalho Técnico (palestrante) no Contaf 2011.
À todos que compartilharam este sonho de romper barreiras - culturais e geográficas - com a arte iunense.
Obrigada pelo apoio... e até a próxima!!!



31 de ago de 2011

Liberdade e MASP


Procurando restaurante na Liberdade...
Que fome!!!


No caminho ao Aeroporto, visita ao MASP:
Emocionante ver de perto "As 4 Estações de Delacroix"...
Sem falar que a área de grafite é mais que linda!

Arteira no Contaf 2011!


O Contaf 2011 foi um sucesso.
Palestras maravilhosas e experiências inesquecíveis.
Estiveram presentes os grandes nomes das Artes do Fogo de toda América Latina.
Dentre eles:
Djalma Barros e Eliane Zaroni
Universidade Presbiteriana Mackenzie
Luciano Almeida
Escultor - especialista em retratos em argila.

Cesar Barbosa
Engobe Craquelado

Pabla Quesada - México
Cerâmicas de Mata Ortiz

O Projeto Arteira foi selecionado e apresentado no evento.
Iúna estava presente. Muito bom!

2 de ago de 2011

Exposição "Mestres Espanhóis"

Obra de Picasso em 'Tauromaquia'

A partir de terça-feira, dia 2, estarão expostas, no Palácio Anchieta, obras originais de quatro renomados artistas espanhóis: Pablo Picasso, Salvador Dalí, Francisco Goya e Joan Miró.
A exposição "Mestres Espanhóis" é inédita no país e Vitória será a primeira cidade a recebê-la.

"Mestres Espanhóis"
Data: 02 de agosto a 02 de outubro
Horário: De terça a sexta-feira: de 10 às 18 horas; sábado e domingo: de 12 às 18 horas
Local: Salão Afonso Brás, no Palácio Anchieta
(Entrada Gratuita)

13 de jun de 2011

Viver de Arte...


"No mundo sempre existirão pessoas que vão te amar pelo que você é, e outras que vão te odiar pelo mesmo motivo. Acostume-se!"

Uma amiga especial - Deisi , de Afonso Cláudio - estudante de Artes também, tirou da cartola uma frase que amei. Calhou perfeitamente com alguns movimentos que se formam em torno...
Valeu querida!!!!
Uma semana abençoada para você e toda sua família.

Bj

2 de jun de 2011

Paul Signac


Paul Signac
...
O criador da técnica do Pontilhismo.
(para os críticos inimigos: "O pintor de Confetes"!!!!!)

Um artista além do seu tempo, que inovou no Impressionismo,
que por si só já era um movimento artístico inovador na época.



Paul Victor Jules Signac nasceu em 11 de novembro de 1863, em Paris, na abastada família de um comerciante/estofador parisiense.
Aos 18 anos, abandonou os estudos de Arquitetura para tornar-se pintor, entrando para a história das artes plásticas mundial. Embora tenha freqüentado algumas aulas de Artes Decorativas, pode ser considerado autodidata.


... OS PRIMEIROS PASSOS NA PINTURA ...

Após abandonar a arquitetura, Signac, aos 19 anos, ingressou-se na Escola de Belas Artes, e seguiu as veredas do Impressionismo.
Lá conheceu Monet e Georges Seurat e ficou impressionado com os métodos de trabalho sistemático de Seurat e sua teoria das cores.

Sob influência de Seraut, Signac abandonou as pinceladas curtas do impressionismo para experimentar uma nova técnica que utilizava pontos de cor pura, cientificamente justapostas, que se combinam e não se misturam na tela, mas sim no olho do observador.
Estava criada então a técnica do Pontilhismo.


... O QUE É PONTILHISMO? ...

“Pontilhismo” procede do francês pointillisme,
(formado a partir da palavra point = "ponto").
Foi um movimento pictórico pós-impressionista surgido na França em meados da década de 1880, como reação aos próprios impressionistas e à pintura oficial.

Trata-se de uma técnica de pintura que baseia-se na colocação de pontos coloridos muito próximos uns dos outros o que, à distância, provoca uma mistura ótica, fazendo surgir a forma aos olhos do expectador.

Porto de La Rochelle - Paul Signac (1921)
( Óleo sobre tela - 130 x 162cm – Atualmente está no Museu de Orsay – Paris/França)

Signac foi o principal impulsionador do Pontilhismo, também chamado de Movimento do Divisionismo ou Neo-Impressionismo.

A sua vida artística caracterizou-se pela profusão de suas viagens em busca de inspiração para a sua paleta.

Como amante que era de barcos, possuiu ao longo da sua vida cerca de 30 barcos. Isso permitiu-lhe fazer diversas viagens que o inspiraram no uso de novos tons. Ele navegou ao longo das costas da Europa, pintando as paisagens que encontrava.

Começou a excursionar em 1892 em um pequeno barco a quase todos os portos da França, Holanda, Colômbia e em torno do Mediterrâneo, Constantinopla, tendo a base de seu barco em St. Tropez.

De todos os portos Signac criou obras vibrantes, coloridas que esboçava rapidamente em desenhos retratando a natureza que encontrava.
A partir destes pequenos desenhos, pintou grandes telas em seu estúdio, que são cuidadosamente elaborados a partir de pequenos pontos de cor.

Após ser acometido por um câncer e não conseguir mais velejar, Signac pintou naturezas mortas e cenas de cidades francesas, até sua morte, aos 72 anos de idade.

Natureza morta com um livro - Paul Signac (1921)
(Óleo sobre tela - 32,5 x 46,5 cm - Galeria Nacional de Berlim - Alemanha)


... CONTRIBUIÇÃO PARA A ARTE MODERNA ...

O pontilhismo de Signac reproduziu uma atmosfera vibrante, de luz e calor. Foi também, uma das tendências que melhor anunciaram a abstração de cor, desempenhando um papel decisivo no desenvolvimento posterior do Fauvismo e do Cubismo.


Fontes:
•HOUAISS, Enciclopédia e Dicionário Koogan. Paul Signac.Positivo. Editora Delta: Rio de Janeiro, 2010.
•http://www.louvre.fr
•http://www.musee-orsay.fr
•http://www.nationalgallery.org
•http://www.itaucultural.org.br

31 de mai de 2011

Cerâmica



Beber água igualzinho no tempo da vovó!!!
Com "moringa" e copinho de cerâmica no criado, ao lado da cama do casal!
Um hábito antigo, em uma peça customizada!
Com cara de gente alegre!!!!!!
Com cara de gente Arteira!!!! rsss


By Arteira


Pintura em telhas


Fiz esse joguinho esta semana...



By Arteira


Meu cantinho de trabalho



Matando as saudades do meu cantinho de trabalho.
Esta é a oficina do Ateliê... é aqui que nascem minhas bagunças! rs

22 de mai de 2011

Arteira na Itália!!!

Um momento especial!
Daqueles para "entrar para a história"!!!
Em visita a Iúna, 
o Secretário de Cultura de Castelluccio Superiore/Itália 
- Massimo Celano -
recebeu o diploma de membro correspondente da 
AIL - Academia Iunense de Letras.
A solenidade de entrega do diploma 
foi realizada na Secretaria de Cultura de Iúna 
e foi uma festa!
Massimo Celano e Maristella (sua esposa) adoraram... 
e para nós foi um enorme prazer 
conhece-los e homenageá-los.

Membros da AIL, com Massimo Celano e Maristella.


Maristella: Simpatia e elegância da mulher italiana.


Ah! E teve obras da Arteira indo para a Itália!!!
Aqui (da esquerda para a direita): 
Roberto Scardino Marcondi, Maristella Celano, 
Eu e Mássimo Celano, 
no discurso de entrega das peças.

O próximo encontro vai ser em Castelluccio. 
Vamos para lá em setembro!!!!

By Arteira

14 de mai de 2011

Historiador da Arte


    O que é Historiador da Arte?    

Para se falar sobre o trabalho do historiador da arte é necessário, a priori, definir o que é História da Arte.
Segundo o texto de Giulio Carlo, a História da Arte “visa explicar historicamente toda a fenomenologia da arte”, indo além do simples reagrupamento de fatos artísticos dentro de certa ordem.
Assim, a História da Arte tem como objetivo estudar a arte não como reflexo, mas como um agente da história. Esta premissa é revalidada quando discutimos juízo crítico e valor artístico de uma obra de arte. 
Em nossa contemporaneidade, uma obra de arte é considerada como tal quando tem importância na História da Arte e contribuiu para a formação e desenvolvimento de uma cultura artística. O juízo que reconhece a qualidade artística de uma obra, automaticamente deve reconhecer também sua historicidade.
Em suma, a História da Arte busca, no estudo da produção artística, encontrar as relações entre a produção artística e as condições materiais e espirituais de seu tempo.
Nesse sentido, antes do valor específico de obras já consagradas, a História da Arte responsabiliza-se em identificar as características plásticas das mesmas, seus usos sociais, o tipo de consideração e valor que os homens do seu tempo nutriam por elas.
Tal catalogação e organização de obras, (seu tempo e seus valores de juízo e artísticos) exige a intervenção da interpretação e da avaliação, estreitando os laços entre História da Arte e Crítica da Arte.
Neste cenário, surge o trabalho do historiador da arte, que é decompor a obra de arte nas suas muitas componentes culturais, analisando-a como um conjunto de relações e de fatores interatuantes.
O historiador da arte trabalha com fontes, que são os documentos que comprovam ou justificam as suas afirmações. Esses documentos, por serem ricamente diversificados, são distribuídos em categorias:
1 - Os objetos em si (pinturas, esculturas, arquiteturas, etc); 
2 - Documentos do processo de criação (desenhos, esboços, rascunhos e anotações); 
3 - Testemunhos contábeis e administrativos (inventários, contratos de trabalho, compra e venda, encomendas, etc); 
4 - Relatos críticos (textos escritos a respeito da obra, artista ou período correspondente).
Como as fontes são à base do trabalho do historiador da arte e um dos itens que conferem o caráter de validade e cientificidade aos seus textos, dentro do possível, o trabalho do historiador deve processar-se sobre os originais, pois nenhum juízo decisivo pode ser feito a partir de reproduções, por melhores e mais perfeitas que sejam.
O objetivo do trabalho do historiador da arte é explicar a obra de arte como um sistema de relações indiretas e em longo prazo (na maioria das vezes). 
Os confrontos provenientes deste estudo do historiador de arte é que revelam os percursos por vezes complicados do artista/obra.

Bibliografia:
ARGAN, Giulio Carlo. Preâmbulo ao estudo da história da arte. In: & FAGIOLO, Maurizio. Guia da história da arte. trad. M.F.G. de Azevedo. Lisboa: Estampa, 1992.
DIAS, Lincoln Guimarães. Teoria da Linguagem Visual. Vitória, ES: Universidade Federal do Espírito Santo, Núcleo de Educação Aberta e a Distância, 2011.


13 de mai de 2011

38 "aninhos" (rss)

Esta semana tive um dia (e uma noite) de festa!!!!!!!! 
Meu níver:
 38 aninhos, com cara de 30! (rss) 
e aproveitamento de 100%! 
Um balanço final? 
Tô no lucro: 
família linda, amigos especiais, 
trabalho que amo e Deus presente na minha vida! 
É mais que motivo pra comemorar!!!!!!! 
Obrigada Senhor!
...

E os amigos, claro, vieram!!!
Amei a festa!!!




7 de mai de 2011

Cristaleira Customizada


Depois de tantos dias "sumida" do blog,

vou dividir com vocês meu mais novo mimo:

MINHA CRISTALEIRA CUSTOMIZADA!!!!

Dias de busca por uma estrutura antiga,

lixa daqui, prega dali, restaura acolá...

Tudo terminado ...

e a peça ficou linda na minha sala de jantar!

Não precisa nem dizer que todos que chegam,

olham, e se espantam

com a cor roxa em um móvel tão “tradicional”

como uma cristaleira.

Mas... Falando a verdade...

Eu AMEI o resultado final!!!!!!






29 de mar de 2011

Onde a arte se esconde?...


Durante uma pesquisa de Filosofia da Arte - Artes Sacras. Saí em campo atrás de imagens aqui em Iúna. E para minha surpresa, encontrei uma que me chamou a atenção:

Trata-se de um anjo construído em uma das sepulturas mais antigas do Cemitério Municipal de Iúna/ES. (Tamanho médio: 1,20 X 0,60cm).

O anjo, com semblante infantil e com as mãos em posição de oração, possui um olhar fixado para a base superior do túmulo, como se orasse (velasse) a todo tempo pelo indivíduo (alma) sepultado no local.

Apesar de estar posicionada na cabeceira do túmulo, em meio a um cemitério, a escultura não transmite tristeza. O que o espectador pode perceber, de imediato é a serenidade e ingenuidade do homem perante a morte.

A estética é delicada e de finos traços de acabamento. Apesar de ser construída com material mais rude (cimento - resistente ao tempo), a mesma não perde em beleza e detalhes.

Na iconografia comum, os anjos são donos de uma beleza delicada e de um forte brilho, e por vezes são representados como uma criança, por terem inocência e virtude. Vale a pena ressaltar aqui que Anjo (do latim angelus e do grego ággelos (mensageiro), segundo a tradição judaico-cristã é uma criatura celestial, acreditada como sendo superior aos homens, que serve como ajudante ou mensageiro de Deus. Tanto o Antigo quanto o Novo Testamento apresentam histórias que citam anjos, que se apresentam aos homens para trazer uma mensagem de Deus, para dar uma boa-nova e/ou esperança aos que sofrem. Considerando a localização espacial da mesma, pode-se afirmar então que a imagem mantém uma relação direta com a função que desempenha.

Em pensar que já passei várias vezes por esta escultura e nunca havia observado esses detalhes (ou imaginado que haviam tantos conceitos artísticos/estéticos/filosóficos ali!).

Como disse, certa vez, Paul Klee: "A arte não reproduz o que vemos. Ela nos faz ver."
Adorei o resultado (tanto da pesquisa, quanto desta imagem). No dia, até as nuvens colaboraram! rss


20 de mar de 2011

Sarah, Pedro e Tiago!!!


Eram para eles coletarem argila...
Olha só a farra que fizeram!!!!!
Fala sério? São "ARTEIROS" ou não?!!!!!!
Rsss

12 de mar de 2011

Bonsai

Estou às voltas com meu bonsai de jabuticabeira.
(a batizei carinhosamente de Eugênia!)
Ganhei de um amigo querido
e cuido com o maior carinho desde então...
E ela está me retribuindo com toda beleza!


Esta sapeca aí é minha caçulinha Sofiah
tentando se "esconder" atrás da "árvore"!!! rsss